Antes de descer a lenha nos defensores dos Direitos Animais, pare e pense: por que eles defendem direitos para os animais não humanos?
Antes de descer a lenha nos defensores dos Direitos Animais, pare e pense: por que eles defendem direitos para os animais não humanos?

Muitas pessoas de fora do veganismo e da defesa dos Direitos Animais vêm reagir com irritação raivosa quando se deparam com alguma notícia, por exemplo, de ações diretas contra pesquisas em animais não humanos ou protestos de veganos contra a pecuária e a indústria de alimentos de origem animal. Despejam comentários furiosos desqualificando quem defende os animais, muito embora desconheçam as razões de tais manifestações.

Vendo-se isso, precisamos refletir: qual é o sentido de opinar contra aquilo que não se conhece? Por que criticar aquilo cujas razões por que acontece o indivíduo não procura conhecer ou nem mesmo especular? Por que pessoas descem a lenha em quem defende os Direitos Animais sem ao menos saber por que essa defesa é empreendida?

Pensando-se nessas questões, vale fazer um pedido a quem está tentado a atacar os Direitos Animais e seus defensores a cada mobilização abolicionista: procure conhecer aquilo que critica e por que o objeto de sua crítica acontece ou existe.

Feita a recomendação, convide-se os nossos críticos a pesquisar para responder às seguintes perguntas:

1. Por que a população vegana e vegetariana por consciência está crescendo cada vez mais?

2. Por que há pessoas reivindicando direitos para os animais não humanos?

3. Por que tantas pessoas são contra o uso de animais em pesquisas científicas?

4. Por que tantas pessoas são contra o consumo de alimentos de origem animal?

5. Por que não há a mesma massa de pessoas reivindicando também direitos para plantas?

6. Os Direitos Animais têm fundamentação racional, mista de razão e emoção ou apenas emocional? Justifique.

7. Você acha absurdo o fato de haver pessoas reivindicando direitos para animais não humanos? Se sim, por quê?

8. Quais os fundamentos científicos e filosóficos da reivindicação de direitos para os animais? Eles fazem sentido? Por quê?

9. Qual os fundamentos ético-morais que nos permitem explorar e matar animais para fins como o de consumo?

10. O que diferencia essencialmente, fora a categoria de ser explorado (raça, espécie, sexo, orientação sexual etc.), a hierarquia moral especista das hierarquias racista, machista, homofóbica, transfóbica, capacitista, xenofóbica etc.?

11. A cadeia alimentar a que os humanos pertencem é inflexível ou pode ser flexibilizada com a substituição de determinados alimentos?

12. De onde os veganos obtêm seus nutrientes?

13. Vegetais são boas fontes de nutrientes?

14. Quais são os nutrientes que não são encontrados em lugar nenhum fora os alimentos de origem animal? Nomeie-os – não vale dizer, por exemplo, “alguns aminoácidos” ou “algumas vitaminas”.

15. Consumir carne, laticínios e ovos é um consumo sustentável? Por quê?

16. Por que não ser vegano?

2 comments

  1. Não sou contra a alimentação carnívora, mas absolutamente contra o que se faz nos abatedouros. Existem alguns problemas em não se ingerir carne, como exemplo temos a vitamina B12, por isso pergunto: Como conseguir vitamina B12 sem ingerir carne? Suplementos de vitamina B12 existem, são caros?

    1. Jones, existem bastante suplementos de B12 no mercado. Duas marcas se sobressaem, ao meu ver: complexo B Sundown (6mcg de vitamina B12) e suplemento b12 da FDC (500mcg, pra quem tem alguma dificuldade na absorção da vitamina). Lembrando que a recomendação diária de B12 é 2,4mcg (2,8 pra gestantes e lactantes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*