Manifestantes "antivivissecção" pedem testes científicos e industriais em criminosos: o reacionarismo toma de assalto parte da militância animal
“Manifestantes antivivissecção” pedem testes científicos e industriais em criminosos: o reacionarismo se veste de militância animal. (clique na imagem para vê-la em tamanho completo)

Editado em 29/04/13 às 09:47

Dizem que exigir a brutalização do Estado é um dos passos que uma sociedade dá rumo à instauração de um regime fascista, cuja mão de ferro seria apoiada por um povo demandante de tratamento cruel contra “vagabundos” e mandaria os Direitos Humanos, pejorativamente chamados de “direitos bandidos”, para as cucuias. Pois é o que estamos vendo de algumas pessoas que dizem defender os animais (mas falham miseravelmente nesse intuito), como no protesto acima contra a vivissecção e os testes industriais em animais, em São Paulo.

Numa postura lamentável, pouco mais de uma dúzia de manifestantes, que definitivamente não representam o abolicionismo, posou para uma foto exigindo do governo e dos cientistas que  substituam as cobaias não humanas por criminosos, mais precisamente pedófilos e assassinos. Na prática, demandam que a ciência continue cruel, só que agora, ao invés de explorar seres inocentes, mude sua crueldade para criminosos e sacie a sede de vingança dessas pessoas.

Acreditam elas, como todo reacionário que se preze, que o que faz alguém assaltar e matar é uma crueldade inata intrínseca a alguns indivíduos, e não as circunstâncias sociais e familiares que a tornam sentimentalmente bruta e antiempática, e que a única solução para a criminalidade seria embrutecer o Estado e fazê-lo promover crueldades contra os presos, não tendo qualquer preocupação em regenerá-los.  Parece que não querem solução, mas apenas recrudescimento da contraviolência – que também é uma violência – contra os criminosos… Ou que a solução para a violência é mais violência.

Culpam unicamente o indivíduo, como se ele não recebesse qualquer influência de um cultura violenta e que os reaças da imagem querem tornar ainda mais violenta.

E na imagem parecem desejar não a eticização e humanização da ciência, mas a continuação de sua crueldade, desde que agora barbarize com pessoas ao invés de animais não humanos. Dizem querer uma libertação animal – isso se não forem bem-estaristas -, mas negligenciam completamente a libertação humana. Agem como os veg(etari)anos reacionários de quem eu falei neste artigo. Isso além da formidável ignorância sobre os aspectos técnicos da pesquisa científica biológica, já que não seria possível controlar todas as condições corporais dos criminosos a serem vivisseccionados e muitas condições antecedentes – como hábito de fumar, alcoolismo e possíveis distúrbios mentais – atrapalhariam as pesquisas a ponto de inviabilizá-las.

No mais, foi uma manifestação passional, movida pelo ódio a criminosos e por um misto de pena (sic) de animais e indignação emocionada contra crueldades, não pela consciência ética e pela disposição de mudar de verdade o quadro de violência entre humanos e de humanos contra outros animais desenhado. E queimam seriamente o movimento abolicionista, que se baseia na libertação de todos os seres sencientes e no estabelecimento da cultura de paz – se é que não se opõem a ele.

Libertação animal sem libertação humana não é libertação. E pode ainda estabelecer o contrário da libertação:  o estabelecimento de uma cultura fascista que, com o pretexto de “salvar os animais não humanos”, vai oprimir os animais humanos mais do que já são oprimidos hoje.

Total
1
Compart.

47 comments

  1. Eu não vejo o motivo que leva uma pessoa a atear fogo em outra por só ter 30 reais no bando… isso não é maldade pura e simples? Não é uma crueldade “inata intrínseca” a alguns indivíduos ?
    Uma coisa é a pessoa roubar pra comer, mas outra é matar com requinte de crueldade outra pessoa, ou estuprar ou praticar pedofilia.
    Sim. Há pessoas que nascem más… e pra estas, eu concordo que sejam feitas experiências para que tenham alguma utilidade a sociedade.

      1. Robson… pelo simples fato de numa mesma família, dois irmãos que tiveram a mesma criação, as mesmas oportunidades e o mesmo amor, um irmão sair um bandido (latrocida) e outro uma pessoa de bem… como posso provar isso? Aconteceu comigo…

          1. Geralmente… mas não estamos falando de generalizações… mas se caso fosse… o que veio primeiro, o ovo ou a galinha?
            Pessoas ligadas às ciências sociais tendem a ter um grande receio de afirmar que uma pessoa pode ser simplesmente má por sua livre escolha… creio que Russeau já não cabe mais hoje…

      2. Robson eu não sei se o outro colega se expressou desta forma, mas o que eu sinceramente penso(e me perdoe o comentário se absurdo) e como ‘regenerar os mesmos?’. Acredito que quando vemos o caso citado acima dos 30 reais, imaginamos se realmente há uma regeneração. Gosto do texto que você escreve e comecei a acompanhar hoje o site, mas o conceito de liberdade que todos ‘desejam’ ter não vem também sendo consumido por esses atos de violência, não será por isso tão natural que os pessoas queiram a represália ‘reversa’? Talvez uma pergunta simples e sem cinismo que eu me vejo fazendo a você é:Como as pessoas deveriam tratar o ódio e a antipatia causada diante desses acontecimentos? grato e site interessantíssimo

        1. O mais racional nesse caso seria exigir soluções pros crimes serem reduzidos ao mínimo ou acabarem, e não medidas de vingança.

          1. Mas não é vingança…
            Não é tortura (não é isso que os cientistas dizem?) será tudo feito com ética… em nome da ciência… só mudam os papéis…
            Ser humano está muito mais apto a inflingir a dor do que sofrê-la…
            Se pedem cadeia pra quem maltrata animais, qual o problema de pedir “punição científica” para os criminosos ?

  2. Crimes hediondo já se refere a quem tem dívidas sérias com a sociedade. Concordo com os testes nesse casos. Quantos medicamentos testados em animais e o efeito no humano é diferente; que façam testes nesse que cometeram os crimes hediondos!

      1. Nada a ver com fascismo (política)… é apenas uma idealização da troca de papéis… engraçado que muitos acham absurdo que um criminoso seja utilizado para experiência , mas ficam calados ao ver um coelho ou cachorro sofrerem isso… mais engraçado ainda é não ser vegano e falar de libertação animal… quanto á ci~encia, com certeza já teria avançado muito mais se fossem feitos experiências diretamente com humanos… e na real isso já ocorre, em voluntários…

        1. A libertação animal prevê não testes em humanos, mas modelos de pesquisa que poupem todos os animais da exploração e crueldade nos laboratórios. Por exemplo, simulações eletrônicas muito avançadas.

          1. Há várias vertentes da frente de libertação animal (que é o problema que ocorre com algo que não tem um comando central), assim como outros movimentos que inclúi o feminismo, misogenia, etc…
            Assim como a clássica não preve uso de humanos (não se deve ter pensado nisso na época) há algumas que pensam que deve haver…
            Por mais tecnologia que tenhamos, nunca um teste artificial ser´a tão eficiente quanto num organismo vivo… e sendo igual ao nosso (humano) seria 100% eficaz…

  3. Isso que da gente que quer defender animais e nao estuda… Direito animal ‘e direito a nao crueldade de todo aquele capaz de sentir e sofrer, independente da especie. Lamentavel ver gente assim reacionaria na causa animal. Essa duzia de pessoas NUNCA rrspresentara o ABOLICIONISMO. Eles precisam mesmo de boas horas de leitura

  4. Eu tenho essa hipótese que o veganismo virou uma certa modinha entre a classe média, e essa que “sofre” pra caramba(risos). Esse pessoal nunca se deu ao trabalho ou interesse em ler, estudar e entender o movimento, apenas viu ali uma oportunidade de “lutar” por algo que não seja uma luta social, afinal são cheios de preconceitos e odeia a esquerda. Os Direitos animais caiu como uma luva, pois não a vêem como uma luta de posição política (tanto que até políticos de direita entraram nessa tbm), e uma oportunidade perfeita para colocar o preconceito classista e elitista, afinal quando uma pessoa de baixa renda maltrata um animal é mto fácil falar que é pobre, xingar os carroceiros, xingar quem compra galinha para matar no quintal de casa e afins. O movimento tem espaço para esse tipo de gente no momento em que não pede um conhecimento maior das questões éticas. Ficou comum “xingar muito no twitter quem usa pele” e “qual maquiagem é vegana ou não”, a superficialidade nos atingiu. Faz 10 anos que sou vegana, muito mudou, antes meus amigos faziam zines undergrounds e trocavam por outros, eram palestras pequenas, movimentos pequenos. Agora vemos marcas, revistas, e canais de tv. O que é positivo vem com essa leva de ignorantes, o veganismo chegou efetivamente para todos.

  5. Pra defender animais nao preciso me afundar em livros, nao faço nada na teoria, absurdo é atear fogo numa pessoa de bem por ela nao ter dinheiro, absurdo é matar um jovem para levar um celular, absurdo é matar uma moça gravida num assalto, nao entendo o pq quando se trata de fazer algo a bandido comova tanta gente, quem dera se estes mesmos bandidos se comovessem com suas vitimas, entre uma vivissecaçao num rato e num estuprador, que se faça num estuprador, assim ele contribue para a ciencia

  6. Ainda bem que existem pessoas que ainda procuram estudar e participar conscientemente do ativismo pelos direitos dos animais!! Esse pessoal aí só mancha a imagem do movimento e provoca um efeito contrário. Lamentável… Ah, e só pra lembrar… ser humano é um animal também, viu?

  7. Desde os primórdios tempos da ciência são feitos testes com seres vivos (plantas humanos, mamíferos, repteis etc). Não entendi o intuito desse “protesto”, não há diferença entre “humanos” e “animais”, pois os humanos são também animais, que fazem parte da família dos grandes símios junto com bonobos, chimpanzés, gorilas e orangotangos. Cada espécime, assim como o homem, é fruto da seleção natural, sexual, da derivação genética, do fluxo genético, de mutações genéticas, em contraste com as demandas ambientais e também vetorizado pelo modus operandi da epigenética. Isso é o que diferencia um ser do outro, nesse diapasão é um mito achar que o “homem” é mais evoluído do que os animais, pois cada ser se desenvolveu para enfrentar os desafios adaptativos.

    Alias, o ser vivo mais “evoluído” e fosse para escolher algum, jamais seria o homem, pois o homem é frágil e vive pouco. Poderíamos escolher para essa categoria o tardígrado, o ser que é adaptado a viver em qualquer condição climática, desde o deserto, ao gelo, até o espaço.

    Na faixa o grupo pede para trocar animais por pedófilos e assassinos, isso se estende também aos outros grandes símios ? Entre eles há também muitos pedófilos e assassinos. Enfim, esse tipo de manifestação não tem peso político nenhum, é socialmente nulo e os participantes deste tipo de evento tem a noção disso, entretanto, tal espetáculo é vetorizado sobretudo pelo desejo intrínseco de indicar aptidão.

    Duvido muito que esses manifestantes saibam o que é ciência.

    1. Dr. Thiago… creio que não se estenda a outros grandes símios… até porque os outros grandes símios já são utilizados para testes…
      O que eu entendi da faixa é exatamente pedir a troca de uso de animais não-humanos (que não tem opção de escolha) para um tipo de pena capital para criminosos (lê-se que cometeram crimes em nossa sociedade) humanos condenados por crimes hediondos…

  8. Caramba depois reclamam que o movimento de liberação animal no Brasil é movimento de classe média, vergonha alheia de quem se acha muito esclarecido, mas reproduz todo ranço nojento conservador.
    Isso é um desrespeito até mesmo as pessoas do movimento de liberação e proteção animal que não aceita esse “vale tudo” que usa de uma noção rasa sobre a pedofilia, homicidas e justiça como ação contra o especismo.

  9. Você que escreveu o artigo você adotaria uma pedofilia ou um assassino na sua casa? Não venha com a santa hipocrisia que vai adotar porque não iria… Todos aqui defende essa raça maldita de bandidos, mais no momento que matam ou estrupam suas filhas e filhos ai vai querer a morte da pessoa. Parem com hipocrisia
    .

  10. Queria ver se matassem sua filha, filho ou marido se você continuaria dizendo o mesmo, é muita falsidade!! Pelo menos esses vagabundos serviriam pra alguma coisa.E nos Estados Unidos que tem pena de morte?? Morrem da mesma formae ainda não servem pra nada.

  11. Vejo os comentários a favor da faixa carregados de ódio, mas faltando argumentos relevantes teórica e cientificamente, ou seja, não acrescentam em nada para a discussão. Quem estiver disposto a vir debater ARGUMENTOS e não xingamentos ou senso comum do tipo “leva pra sua casa” (que clichê, hein), estaremos completamente dispostos a debater sobre o assunto, com RESPEITO. Direcionem essa raiva toda para algo mais produtivo, pois no movimento pelos direitos dos animais não tem espaço para isso.

  12. Olha, eu entendi muito bem o que significa a faixa e explicarei o meu ponto de vista. Infelizmente não vamos conseguir parar de vez os testes em animais porém não vamos parar de lutar. Enquanto tiver gente Grande ganhando dinheiro com isso, não vai parar e é assim que funciona. A FAIXA foi exposta justamente para chamar a atenção puxando um assunto que todos estão sujeitos, como pedofilia e assassinato, já que QUASE NINGUÉM PROTEGE ANIMAIS. Como são assuntos polêmicos e que todos se interessam pois mexe com a sociedade, as pessoas tendem a prestar mais atenção. Vocês, cultos, leitores de livros importantíssimos devem saber que em nenhum outro lugar no mundo é feito testes em presidiários, por que num país de terceiro mundo, onde a justiça é horrível o fariam??? Não tem como. Direitos humanos existe para isso, defender o cidadão. NUNCA VÃO DEIXAR FAZER TESTES EM HUMANOS, ISSO É FATO. Então não acho que deveriam fazer tanto barulho por causa da faixa. Alguém dos direitos humanos entrou em contato? Ameaçando processar quem fez a faixa? Ameaçando alguém aqui do grupo?? NÃÃÃÃOOOO!!!! Então porque não voltam a luta pelos animais e deixem que o pessoal dos DIREITOS HUMANOS se preocupem com o assunto de fazer testes em humanos. Puxa saco do sistema já vi que tem de monte…

    1. E você realmente acredita que quem defende os DH não defende os Direitos Animais, que defensores de cada causa são sempre pessoas distintas? E que o pedido por tortura de criminosos não é sincero?

      1. Claro que são pessoas distintas, ninguém vive a mesma realidade. Nós de São Paulo, com a população quase dez vezes maior do que a de Goiânia temos um outro tipo de visão e dentro da cidade aqui tem muita desigualdade e descaso. Convivemos com muitos Nardonis, irmãos cravinho, maniacos do parque e etc. Pessoas que fazem mal a outras de graça. Sei que vão falar que no Brasil todo é assim, beleza, porém você já veio a alguma zoonose ou um presídio por aqui?? Faça uma visita nos dois locais e determine você quem tá mais precisando de ajuda. O governo dá inúmeras vezes mais condição pro cara que matou meu primo (que vejo ele passar na rua despreocupado) do que animais que foram abandonados por aí. E outra coisa, se por um motivo qualquer fosse permitido teste em humanos, já não contaria como vingança. Você Robson, que deve ser repórter, publicitário ou blogueiro, sei lá, começou com a palavra logo de cara na reportagem ABSURDO. Então você deve saber muito bem como dar uma chamada na atenção, propaganda é a alma do negócio…

    2. Thiago, algumas considerações: primeiro, por que “Infelizmente não vamos conseguir parar de vez os testes em animais”? Isso é algo completamente viável, inclusive porque já existem alternativas aos testes em animais, bem como a mobilização em torno desta questão cresce a cada dia e eles (os que fazem testes) não se sustentarão com esta prática cruel por muito tempo. Se você não acredita na causa, por que luta por ela?
      Segundo, a questão da exploração, tortura e morte de animais por si só chamam bastante a atenção. Em todas as manifestações e atividades que participo vejo um grande número de pessoas interessadas em saber um pouco mais sobre o que estamos divulgando. Não precisamos apelar para sensacionalismo barato e causas que nada tem a ver com a questão dos direitos animais, inclusive são contrárias a ela. Para se engajar numa causa, repito, é preciso estudo, conhecimento sobre o que se está defendendo e qual ação deve-se tomar no sentido de alcançar o fim desejado. Se a faixa foi usada num sentido estratégico para chamar a atenção, foi uma péssima estratégia, pois tentou associar a luta pelos direitos dos animais com a tortura vingativa contra seres humanos e não é essa nossa luta, muito pelo contrário, lutamos pela emancipação de TODOS os animais e nisso se incluem os seres humanos.
      Seria no mínimo contraditório defendermos o fim da tortura e exploração para os outros animais e a barbarização contra o ser humano. Cria-se um ciclo de violência sem fim, reforça o especismo e o que queremos é justamente acabar com a violência e com o especismo. Ou seja, essa faixa, na verdade, como muitos já disseram, vai contra toda nossa luta diária pelos direitos dos animais. Isso não pode acontecer. Foi de uma irresponsabilidade absurda terem feito isso e usado o propósito da “libertação animal” para defenderem ideias no mínimo questionáveis e de cunho que beiram o nazismo, já que bem lembramos os inúmeros testes aos quais eram submetidos aqueles considerados inferiores: negros, judeus, gays e por aí vai… Querem progresso ou retrocesso?
      Só um parênteses aqui: direitos humanos é para defender os direitos dos seres humanos e não do “cidadão”. Há uma grande diferença e esta última palavra assume conotações que reforçam inúmeros processos de exploração e alienação pelo sistema que você tanto repudia (com razão).
      Bom, continuando aqui, você, culto, leitor de livros importantíssimos também deve saber, mas acho que se esqueceu por um momento, que por volta da década de 1950/60, negros e pobres americanos foram usados em pesquisas para testar armas químicas. Entre 1960/70, nos Estados Unidos foram usados inúmeros negros para pesquisar a sífilis. Fora isso, contaminar crianças com deficiência mental com hepatite, realizar cirurgias sem necessidade alguma para testar procedimentos, testar novas drogas em populações extremamente pobres, como ocorre frequentemente na África e provocar câncer propositalmente em idosos foram apenas alguns exemplos que a história nos deu quando se trata de cobaias humanas. Sem esquecer do já mencionado nazismo. É só você dar uma pesquisada aí que encontra muito mais.

      Então eu penso que devemos sim “fazer tanto barulho por causa da faixa”, porque, como bem li em algum lugar, é só dar um pouco de poder a quem pensa dessa forma que eu sinceramente temo pelos rumos que o mundo irá tomar.

      Outro parênteses aqui. Pessoal dos “direitos humanos” ligando para ameaçar alguém… sei não… meio paradoxal, né?

      E tudo o que questionamos aqui nos remete à luta pelos animais, Thiago. Você só se esquece que o ser humano, longe de ser um vegetal ou mineral, é também um animal.

      Repito: direitos humanos e animais andam juntos, porque na sua essência são a mesma coisa. Não tem como dissociar as lutas. Assim como não tem como dissociar a luta pela libertação animal da luta pela libertação de qualquer forma de exploração e opressão. Por isso tão importante são os outros textos do Robson sobre os veganos reacionários e os esquerdistas especistas. Já passou da hora de associarmos que todas as lutas pela emancipação estão interligadas e só serão conquistadas juntas. Se ainda há opressores e oprimidos, uma hora quem não se deixa envolver poderá vir a fazer parte do grupo “vulnerável”. A luta é de todos nós!

      E só pra finalizar… “puxa saco do sistema” eu também sei que tem de monte, mas pode ter certeza que não são os que lutam pela emancipação animal (no geral), já que vai contra o que este sistema promove e tenta manter a todo custo.

  13. Então Juliana, vamos lá, em primeiro lugar coloquei no post que era meu ponto de vista pois já tive um caso muito desagradável em minha vida que também não vem ao caso, águas passadas não movem moinhos. Disse que não vamos parar de lutar, mas enquanto tiver gente grande ganhando dinheiro(porque gera uma boa grana, não só vivissecção) não vamos conseguir tão fácil, desistir jamais. O que eu escrevi a respeito de que em nenhum lugar É FEITO(não “foi feito”) testes em humanos me referi aos dias de hoje, pois a faixa foi colocada nessa manifestação e não em 1950, não preciso que vc procure no google, em livros e nem preciso de uma aula de história, os tempos mudaram e a escravidão acabou faz um tempinho já. A questão de que só os mal tratos e torturas chamarem atenção por si só é realmente fato, porém quantas pessoas da sua família sabe o que é vivissecção? Falo isso vendo pela minha família, de repente a sua é diferente mas a informação a esse tipo de assunto é muito escassa. Não passa em novela e raramente a gente vê algum tipo de reportagem de negligência com animais. E já pensou se aprovassem os testes em criminosos?(já deixaria de ser vingança pois estaria dentro da lei) Seria um completo caos!! Não temos nem controle de entrada de celulares e armas dentro de presídios, imagina se o governo tivesse carta branca para pegar aleatoriamente alguém que foi condenado para fazer pesquisas? Seria um massacre de inocentes e uma queima de arquivos enorme!!! É INVIÁVEL. Enfim, do meu ponto de vista realmente achei tempestade em copo com água essa polêmica toda que gerou… Sou a favor de TODOS OS ANIMAIS conviverem em harmonia, independente de qualquer coisa, sou a favor da vida e sei que essa mensagem aí que está na faixa não vai muito longe. O importante é unirmos para chegarmos num final feliz para todos e não ficar discutindo entre nós mesmos.

    1. Legal, Thiago! Agora chegamos a vários pontos em comum e isso é importante para unificar o movimento: debater nossas ideias com respeito e encontrar o melhor caminho para a defesa dos direitos dos animais (humanos e não humanos).

      Entendi agora que o fato não é que você desacredita no fim dos testes, mas sim vê como nossa luta, da qual não descansaremos enquanto ainda houver exploração, é difícil. Nisso concordamos, meu amigo! Neste mundo capitalista, movido pelo capital, qualquer forma de aumentar a taxa de lucro se coloca acima de tudo – da ética, inclusive e é aí que está o perigo, pois as grandes empresas fazem de tudo para levar cada vez uma parcela maior da massa de mais-valia. Será difícil, mas as conquistas obtidas através das lutas são reais e continuarão, pois os oprimidos e explorados são a maioria e, nem que seja de forma estratégica deles, algumas de nossas reivindicações acabam sendo atendidas, mas reitero, com muita luta, como estamos dispostos a fazer. Às vezes a balança pende pro nosso lado também e é assim que a luta de classes vai movendo o motor da história. Quando não houver mais jeito de eles sustentarem os testes em animais, arrumarão uma forma de investir e ganhar lucro com os métodos alternativos também. Acho que essa não é a maior pedra no sapato deles, pois, de certa forma, não altera substancialmente a estrutura do sistema.

      Quanto aos exemplos que dei sobre testes em seres humanos, desculpe-me se voltei tão longe no tempo, mas isso perdura, infelizmente. Quando citei os testes feitos por grandes indústrias farmacêuticas na África, isso é atual ainda, além das armas químicas testadas na região da Palestina, fora outras coisas que ainda fica muito encoberto, como os mistérios por trás da “gripe aviária”, H1N1 e o tal do Tamiflu e outros testes feitos que, mesmo sem serem amparados legalmente, ainda são realizados por debaixo dos panos. Tudo em prol da tal da “gente grande ganhando dinheiro”! Como falei, eles colocam a ética para baixo do tapete quando se trata de obter mais lucro. Ou seja, os tempos não mudaram tanto assim daquela época que citei para cá e a escravidão instituída pode ter acabado no papel, mas é só verificar a enorme quantidade de trabalhadores em situação de trabalho escravo atualmente (inclusive grande parte na indústria da produção de “carne” e derivados de animais – ou na chamada “pecuária”), que não sei se podemos dizer isso com tanta certeza. Aliás, a escravidão no papel só acabou mesmo pois era incompatível com os novos moldes de sociedade que o capitalismo trazia, já que baseado na exploração do trabalho assalariado, pois é dele que provém a mais-valia.

      Mas enfim, para não perder o foco… realmente, concordamos novamente. Muita gente não sabe o que é vivissecção. Muitas pessoas não sabem a realidade dos testes em animais. Até eu mesma não sabia até buscar mais informações. Aliás, é claro que ninguém nasce sabendo de muita coisa, então só saberemos se formos atrás. E é aí que vem o papel fundamental dos ativistas (bem informados) – estar nas ruas, fazendo aquele “corpo-a-corpo” com as pessoas para informá-las do que já sabemos e também aprendemos o que ainda não conhecemos. Essa troca de informações é extremamente importante, mas penso que deve ser feita pelos seus próprios propósitos e não usando palavras de ordem, repito, sensacionalistas e ainda mais que são tão contrárias ao nosso movimento. Assim, já que “vivissecção” é uma palavra desconhecida por muitos, usemos “testes em animais”. Isso e as imagens já chamam bastante gente. Pelo menos foi isso que vi na cidade que participei e em outras oportunidades em que são expostas imagens de testes. As pessoas realmente se comovem. A medida da verdade é a própria realidade.

      Concordamos novamente, Thiago, que a aprovação de testes em pessoas é algo descabido e que em hipótese nenhuma deve ser incentivada pelo nosso movimento e, como você bem falou, meu amigo, várias pessoas que não cometeram crimes estariam no meio dessa “leva” e teriam uma tortura justificada por lei. Não consigo encontrar outra palavra senão a mesma que nosso amigo Robson utilizou: um absurdo! Tanto para os condenados por lei que realmente cometeram tal infração quanto aos condenados injustamente.

      Eu só não achei que foi “tempestade em copo d’água”, Thiago, mas achei sim que o que deveria ter desencadeado um debate SÉRIO (como esse que estamos fazendo aqui) em prol do movimento, de rever suas estratégias de ação, acabou se tornando uma troca de ofensas pessoais e descambou para o lado da baixaria em muitos locais em que vi o debate acontecer. Muito triste isso. Faltou respeito de ambas as partes. Mas fico mais aliviada em ver que em algum lugar podemos debater e chegar a este denominador comum que chegamos aqui, o qual suas frases finais demonstram bem e que me dou ao direito de repeti-las: “Sou a favor de TODOS OS ANIMAIS conviverem em harmonia, independente de qualquer coisa, sou a favor da vida e sei que essa mensagem aí que está na faixa não vai muito longe. O importante é unirmos para chegarmos num final feliz para todos e não ficar discutindo entre nós mesmos.”

      Obrigada, Thiago! :)

  14. Juliana, na verdade eu que agradeço pelo espaço que você deixou para termos essa conversa! Vejo que diferente de muitas pessoas, vc realmente mostra o quanto está interessada no assunto e na luta!!! Precisamos de gente assim mesmo! Fico feliz por ter conhecido uma pessoa igual a você!! Boa sorte a todos na causa, me desculpe alguma coisa que escrevi no calor da emoção e tudo de bom pra ti e para o grupo! Qualquer coisa, se quiser me mandar algum material próprio para divulgação ou para trocarmos mais idéias, deixo meu e-mail. thiago.omine@hotmail.com

    Mais uma vez, muito obrigado Juliana!

  15. Eu não vejo nada de absurdo na notícia, acho isso uma iniciativa 100% válida. Se for o caso, poderia então retirar os órgãos e sangue dos marginais e doar para aqueles que precisam. Quando digo marginal, entendam sempre assassinos, pedófilos estupradores, políticos corruptos, traficantes, etc (resumindo, só bandido da pesada). Não venham com esse papinho mole de que o meio em que o cara viveu colaborou para que ele se tornasse um bandido. Muito bem, se isso fosse verdade, todo mundo que vive na favela deveria obrigatoriamente ser bandido, coisa que sabemos que não ocorre, então, NADA justifica.

  16. Muito valioso esse post chamando atenção para tamanha barbaridade, que prejudica e desmoraliza os movimentos voltados para os direitos dos animais. É fundamental combater essas tendências fascistas.

  17. humano deve usar humano!

    temos vastos números de maníacos e gente muito ruim, filas, para testes!

    somos o predador máximo da terra, a única espécie que podemos considerar adequada para combater, dentro da lei, e direcionar o seu pior para testes, é a espécie humana!

    os animais não sabem nem mesmo porque abusamos deles, talvez entendam nosso lado predatório por alimento, que é o mínimo “natural” no consumo humano.

  18. Nossa, absurdo é ler que o convívio na favela torna a pessoa um.bandido.. Hahahha nem sabe do que fala , se fosse assim realmente na favela teria muitos e muitos bandidos e não é assim, tem muitas pessoas Boas de Bom Coração, o fato de morar em.favela ou crescer em meio a marginalidade não torna ninguém ruim, pelo contrário, cada um toma para si aquilo que acha bom, alguns acham legal roubar e matar então eles tomam isso como sua “carreira” e outros viram a mesma coisa e não agem assim porque não acham certo.Alguns seres humanos já nascem com o “mal” estude sobre psicopatas e VC entenderá.. Esses aí sempre.foram aquelas crianças que não tinham.compaixão pelos animais e não demonstravam ter culpa alguma em ter feito algo de errado, mas também tem aqueles que se deixam influenciar por aquilo que o cerca.Concluindo …nem todos viram bandidos assassinos pedófilos por que querem alguns já nascem com a maldade.em.seu coração.. Animais matam por instinto,humanos matam por prazer…lembre-se disso…humanos sempre serão a classe mais insana cruel e deplorável que existe… Não defenda quem um.dia possa(Deus queira que não) tirar.algo ou alguem de vc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*