Bullying contra veganos e vegetarianos: não é brincadeira
Bullying contra veganos e vegetarianos: não é brincadeira

Aviso de conteúdo: Este artigo fala sobre bullying e pode causar gatilho de traumas em vítimas atuais e passadas desse tipo de violência.

Um mal muito sério que precisamos combater, nestes tempos de disseminação da consciência vegana e aumento da oposição antivegana, é o bullying contra veganos, vegetarianos e protovegetarianos.

Infelizmente, é relativamente frequente que pessoas que não comem carne sofram agressões, intimidações, assédio moral e provocações ofensivas na escola, no trabalho e em outros lugares, só porque não seguem a tradição alimentar da maioria.

Neste artigo, quero ajudar você a ter uma ideia melhor de como esse problema tem se tornado cada vez mais comum e por que devemos enfrentá-lo cara a cara e livrar a população veg desse tipo de violência.

Alguns exemplos de bullying contra veganos, vegetarianos e protovegetarianos por motivo de vegafobia

O bullying vegafóbico e antivegano tem se disseminado pelo mundo, acompanhando o crescimento da população vegana, vegetariana e protovegetariana.

Abaixo estão alguns exemplos desse tipo de violência:

Precisamos enfrentar o bullying vegafóbico e suas tentativas de naturalização

Esses dez casos são uma pequena amostra do que tem acontecido ao redor do mundo, inclusive no Brasil.

São muitos adeptos da alimentação ética (ou somente saudável) sendo discriminados, intimidados e abusados porque decidiram parar de comer carne e/ou outros produtos de origem animal.

E o pior é que, em alguns casos, como o da lamentável temporada de 2015 ou 2016 de Malhação, a violência do assédio moral é mostrada como algo “inocente”, um “costume que não faz mal”, algo que “só perturba um pouquinho”.

Precisamos tomar consciência desse mal que tem ameaçado a integridade psicológica e até física de muitos vegs e combatê-lo o quanto antes.

Diga não ao bullying vegafóbico e antivegano você também! Por um mundo mais tolerante e aceitador do nosso modo de vida e de nossos princípios éticos!

2 comments

  1. AVISO: Comentário com gatilhos | Violência e abuso sexual

    Não está na lista e não consigo encontrar a notícia, mas também houve um caso de suicídio de uma menina na França. Os colegas chegaram a agredi-la, a atirar-lhe carne crua e a puxar-lhe o cabelo. A escola nunca interveio, mesmo quando os pais denunciaram. Ninguém da escola foi ao funeral dela e nenhum tipo de comunicado anti-bullying foi feito depois do sucedido. É como se nada tivesse acontecido e ela nunca tivesse existido. Nenhum agressor foi suspenso ou expulso.

    Uma youtuber, Sonia Sae, também falou sobre isso e mostrou algumas mensagens que recebeu. Foi insultada de forma misógina e imensos homens ameaçaram-na de violação e de morte (alguns acrescentaram que, se pudessem, fariam a primeira e no fim a segunda) e que ela merecia ter a garganta cortada como se faz com as vacas. Também tentaram incutir-lhe culpa, de que iriam matar um animal e comê-lo só mesmo por causa dela ser vegana. E recebeu mensagens de incentivo ao suicídio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*