O que há de tão ruim em comer carne?

É necessário mesmo comer carne?

Foto: autoria desconhecida (editada)

Este artigo e outros 49, abrangendo inéditos e versões melhoradas de textos postados neste blog, estão no livro Veganismo: as muitas razões para uma vida mais ética

Você come carne?

Se sim, conhece um ou mais veganos e vegetarianos que vivem falando mal do consumo desse produto?

Se conhece, é bem provável que fique se perguntando por que ele(s) têm uma impressão tão negativa sobre comer carne.

Mas afinal de contas, o que há de tão ruim no consumo de carne? Por que parar de comê-la?

O principal ingrediente usado ao se “produzir” carne

Peixes mortos em prol do consumo de carne

Peixes mortos em prol do consumo de carne. Foto: autoria desconhecida

A razão principal que nos leva a defender o fim do consumo de carne é, ao mesmo tempo, o mais indispensável ingrediente da “produção” do mesmo em fazendas, granjas e barcos de pesca: a morte violenta de animais.

Para se ter o bife malpassado, ou a perninha de frango frita, ou a posta de peixe na mesa, é absolutamente necessário que um animal tenha sido morto contra a vontade por um funcionário de matadouro ou um pescador.

 

E por que matar animais para comer é errado?

Boi foge do matadouro

Boi foge do matadouro em Nova York. Fotos: autoria desconhecida

Quando se relembra que é preciso que animais morram de violência para que se possa comer carne, muitos perguntam em seguida: por que é errado matar animais para comer?

Respondo com prazer: porque esses eram seres que queriam continuar vivos, e que de alguma maneira tentaram resistir quando foram mandados ao matadouro ou retirados da água. Isso quando não é o caso de serem impedidos de resistir ou mesmo de saber que vão morrer, como é o caso em alguns abatedouros que promovem “abate humanitário”. [1]

Para melhorar a percepção disso, faço algumas perguntas:

  • Você acha errado assassinar um ser que quer continuar vivo, luta pela integridade física e tenta se defender ou fugir de qualquer ameaça à sua vida?
  • Acha covarde e cruel matar quem não está fazendo mal para ninguém?
  • Indigna-se com força quando assassinam cães e gatos na rua?
  • Pede punição rigorosa para quem mata seres humanos e animais domésticos, ainda mais quando o assassinato é com requintes de covardia e sem dar possibilidades para a vítima se defender?

Se você respondeu sim a essas quatro perguntas, então você está a meio caminho de entender por que é errado matar animais para consumo.

Estes desejam a continuidade de sua própria vida tanto quanto os seres humanos, os cães, os gatos, as onças-pintadas, as araras, os cavalos “de tração”, enfim, todos aqueles seres cuja vida você respeita.

Esse desejo existe porque são seres sencientes, ou seja, capazes de sentir dor, manifestar sofrimento e saber que existem e estão vivos. Não é à toa que muitos acreditam que a palavra senciente vem da junção entre o sen- de sensível e o -ciente de consciente. [2]

Todo animal senciente luta cotidianamente para preservar sua vida. Pela sensibilidade à dor, sabe que ser submetido a situações que causam sofrimento é ruim e põe em risco sua vida.

Isso faz com que os animais ditos “de consumo” façam o possível para não serem mortos. Por exemplo [3]:

  • O frango foge quando tentam apanhá-lo e colocá-lo dentro da grade do caminhão para o abatedouro;
  • O peixe se debate com muita força, de modo que possa se locomover de volta para a água, quando é pescado;
  • O boi e o porco tentam recuar no corredor que o leva para os locais de insensibilização e degola;
  • Animais “de consumo” vocalizam alto e manifestam desespero tanto pelo sofrimento de pressentir a morte como, provavelmente, numa tentativa de que algum grupo de animais de sua espécie salvem-nos do trágico fim.

Afinal, eles sabem que terão seus corpos violados e suas vidas aniquiladas. Não desejam ser mortos. Têm o máximo possível de cuidado com a vida que têm.

A existência de pessoas dispostas a comprar carne para comer significa que esses animais terão seu desejo de continuarem vivos negado e violado. E que sofrerão violências tão cruéis e covardes quanto as que se comete contra seres humanos, cães e gatos.

 

É necessário mesmo viver disso?

Coração cheio de vitalidade vegetal

Imagem: autoria desconhecida

Diante de todas as justificativas para se parar de comer carne, muitos ainda alegam: “Mas é necessário consumir carne”, “Precisamos de seus nutrientes para ter saúde”.

A essa crença quero responder com satisfação: é perfeitamente possível viver bem sem colocar na boca um miligrama que seja de carne – ou de qualquer outro alimento de origem animal.

fontes abundantes de proteína, ferro, iodo, zinco, vitaminas e outros nutrientes em produtos não animais. Mesmo algum nutriente que não se encontra naturalmente em vegetais, como a vitamina B12, pode ser obtido por suplementos, sem que isso signifique que a alimentação vegetariana seja mais “incompleta” do que a não vegetariana. [4]

Com isso, é muito possível ser saudável tendo uma alimentação vegetariana (livre de componentes de origem animal). Aliás, as chances de ter uma ótima saúde sendo vegetariano(a) são substancialmente maiores do que as de ser uma pessoa onívora saudável. [5]

Se o problema é o gosto pelos sabores das carnes que se adquiriu ao longo de décadas, também não há o que se preocupar. A alimentação vegetariana tem maravilhosos sabores de sobra, muitos deles assustadoramente parecidos com os dos alimentos de origem animal. E também existem carnes vegetais, para quem diz que “não vive” sem carne. [6]

Ou seja, ao contrário do que muitos ainda acreditam, não existe hoje nenhuma necessidade de seres humanos comerem carne. Pelo contrário, tem se tornado cada vez mais necessário parar de consumi-la.

 

Você não precisa viver da morte dos animais “de consumo”

Diga não ao abate de animais

Foto: Robson Ramos (editada)

Se é possível ser saudável e desfrutar de sabores inesquecíveis com o vegetarianismo, então a conclusão lógica à qual chegamos é que a morte dos animais “de consumo” em matadouros não é necessária.

Você não precisa viver dos frutos da miséria animal. Pode viver muito bem sem que animais morram por sua alimentação e consumo.

Portanto, você pode abandonar a carne e os outros alimentos de origem animal – que também dependem, todos eles, da exploração e morte de animais [7] – desde já, e começar a experimentar a culinária vegetariana. Ela está acessível logo na feira, mercado público, mercearia, hortifrúti e supermercado mais próximos de sua casa.

É provável que ache estranho e até desconfortável no começo viver sem carne e outros produtos animais. Mas basta pouquíssimo tempo – alguns dias, posso dizer – para que esse desconforto acabe e dê lugar a um prazer de que vale a pena desfrutar.

Então, não espere mais. Conheça e considere a alimentação – e também o consumo não alimentício – livre de exploração animal. Você pode ajudar a acabar com o sofrimento que os seres humanos causam aos demais animais no mundo.

 

Referências e notas

[1] Veja alguns exemplos de estruturas em abatedouros criadas para impedir que os animais pressintam sua própria morte em http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/bem-estar-animal/arquivos-publicacoes-bem-estar-animal/programa-steps-2013-abate-humanitario-de-bovinos.pdf/@@download/file/Programa%20STEPS%20%E2%80%93%20Abate%20Humanit%C3%A1rio%20de%20Bovinos.pdf (p. 64-67, acessado em 24/01/2017)

[2] A verdadeira origem do termo senciente é o termo em latim sentiens, que por sua vez deriva de sentire (sentir). Fonte: http://www.dictionary.com/browse/sentient (acessado em 17/02/2017)

[3] Cenas em que animais reagem adversamente quando estão sendo levados à morte no abatedouro podem ser vistas em documentários como A Carne É Fraca e Terráqueos.

[4] Na verdade, virtualmente nenhum ser humano morador de cidades e do campo se livra de suplementar vitamina B12. Os não vegetarianos só obtêm a B12 das carnes, laticínios e ovos porque os animais que os “fornecem” consumiram suplementos sintéticos dessa vitamina – e de diversos outros nutrientes. Em última análise, não há nenhuma opção alimentar confiavelmente livre de suplementação nas sociedades modernas. Mais informações em http://veganagente.com.br/a-suplementacao-de-vitamina-b12-por-tras-do-prato-de-quem-critica-vegans-por-obterem-na-de-suplementos/ (acessado em 20/01/2017)

[5] V. artigo 10 bens impressionantes que o veganismo fará para você

[6] V. artigo Vegetarianismo: um universo inteiro de delícias culinárias espera por você de braços abertos

[7] Mais informações nos artigos A produção (e consumo) de leite e ovos realmente é mais ética do que a de carne e não mata animais? e Mel: Os apicultores e os exércitos que invadem países e saqueiam cidades têm muito mais em comum do que você pensa

 

Este artigo fez você refletir sobre o consumo de carne? Inspirou você a, pelo menos, começar a comer cada vez menos carne e, num futuro próximo, parar de comê-la? Tem alguma dúvida adicional sobre por que deixar de considerar a carne um alimento para humanos? Comente logo abaixo.

Você gostaria de mostrar para outras pessoas por que elas também deveriam repensar o consumo de carne? Compartilhe este artigo.

Tem dúvidas sobre outros alimentos de origem animal? Tire suas dúvidas sobre eles por esses outros meios.

Siga-me aqui

Robson Fernando de Souza

Autor dos blogs Consciencia.blog.br e Veganagente e do livro Veganismo: as muitas razões para uma vida mais ética. Formado em Licenciatura em Ciências Sociais (UFPE, 2016) e Tecnologia em Gestão Ambiental (IFPE, 2008). Adora Sociologia, meio ambiente, Direitos Animais & Veganismo e autoajuda.
Siga-me aqui

2 Comments on “O que há de tão ruim em comer carne?

  1. Consegui ler o texto não, foi me causando muita aflição. Indicar para um amigo que vive me azucrinando por causa dos meus hábitos de vida.

  2. Olá, Robson! Gostei bastante do texto, muito esclarecedor. Tornei-me vegana faz poucos dias e seus artigos têm me ajudado neste renascer. Tenho dúvidas sobre a vitamina B12. É preciso ter indicação de um médico ou nutricionista? Gostaria de compartilhar o texto no meu facebook, mas não encontrei uma forma.
    Obrigada por tudo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *