Vegano ou vegetariano: cuidado com a ricota que parece tofu
Imagem original: Receita Toda Hora

Quero contar, neste artigo, um relato de quando eu, no meu primeiro ano de vegetariano, confundi ricota com tofu e acabei ingerindo proteína animal sem querer.

Com esta história, quero avisar aos veganos e vegetarianos novatos do risco que existe de, em algum restaurante, confundirem algum queijo branco de origem animal com tofu.

Aliás, há o risco de se confundir qualquer alimento de origem animal à disposição num restaurante não vegetariano com suas imitações vegetais, numa realidade em que ainda falta muito para a culinária vegana se difundir largamente em restaurantes que oferecem frutos de exploração animal e não vislumbram explicitamente um público-alvo vegano e vegetariano.

O momento da confusão

O mês era novembro de 2007, eu era vegetariano há apenas três meses, e iríamos comemorar as bodas de prata dos meus pais.

Fomos a uma churrascaria perto de casa. E surpreendentemente era uma que, mesmo naquela época, já servia relativamente bem clientes vegetarianos e veganos. Mas…

Diante da fascinação de ver tantos pratos vegetais ao meu dispor (era um self-service), vi logo alguns cubos de queijos brancos.

Pareciam visualmente tofu, o que já foi o suficiente para me deixar vislumbrado. Afinal, não é todo dia que supostamente se encontra um prato tipicamente vegetariano num restaurante onívoro.

Peguei uns quatro cubos pequenos daqueles, e levei para o meu prato, que estava montado na mesa da família. E devorei um por um – até o gosto parecia de tofu com sal.

Quando fui pegar mais, eu perguntei para o garçom: “Esses queijos aqui são tofu, não é?”.

Ao que ele respondeu: “Não, é ricota.”

Minha cara foi ao chão na hora. Tinha ingerido proteína animal sem saber.

Consternado, voltei à mesa e continuei comendo – mas não mais os queijos que eu havia iludidamente confundido.

Contei para o pessoal na mesa a pequena confusão – mas que para mim, que tinha prometido nunca mais colocar proteína animal na boca, era significativa o bastante para causar muito constrangimento -, e não lembro mais o que me responderam.

A lição que fica

Lição do He-Man sobre alimentos que parecem vegetarianos mas não são

Ficou uma lição, que eu quero passar para você que está nos seus primeiros meses, semanas ou dias de vegano ou vegetariano: tome cuidado em restaurantes onívoros. Porque você pode avistar um prato que parece vegetariano, tanto no visual quanto no sabor, mas na verdade é fruto de exploração animal.

Isso geralmente acontece em restaurantes que não etiquetam os pratos de acordo com os ingredientes que contêm – se contêm leite, se contêm carne, se são vegetarianos, se contêm açúcar etc.

Perceba que a população vegana e vegetariana ainda não cresceu o suficiente a ponto de se tornar um público bastante relevante para a maioria dos restaurantes.

Nesse caso, a pesquisa do IBOPE que diz já haver, em 2018, 14% de vegetarianos em diversas capitais brasileiras pode iludir você com a impressão de que já estamos conquistando o país – e a verdade é que falta muito ainda para isso acontecer.

Portanto, a grande maioria dos restaurantes ainda não considera incluir plenamente entre seus clientes o público que substitui culinariamente queijo branco por tofu, carne por seitan, entre outras substituições de produtos animais.

Ainda estamos numa fase em que, fora dos restaurantes vegetarianos e protovegetarianos, geralmente temos que nos contentar com o arroz, a salada, a batata frita e, no máximo, o feijão sem carne.

Conclusão

Portanto, tenha pé no chão, e tome muito cuidado nos restaurantes onívoros que não têm um menu ou um buffet propriamente dedicado a vegetarianos e veganos.

Se viu um queijo branco que parece tofu, pergunte se é mesmo, porque pode ser ricota ou outro tipo de queijo branco.

Se viu um bolo, questione se leva leite e ovos, porque à primeira impressão pode parecer um bolo vegetariano – e bolos vegetarianos se parecem bastante com bolos com ingredientes de origem animal.

Se viu feijão, pergunte se leva carne. Se viu um arroz colorido, pergunte se não tem nada de origem animal ali. E por aí vai.

Enquanto ainda estamos começando a crescer – porque, mesmo desde 2007, ainda estamos “no começo” -, é preciso tomar essa precaução quando você for a restaurantes não vegetarianos com família, amigos e/ou colegas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*