10 razões para você se aprofundar no estudo dos Direitos Animais e do veganismo

Estude Direitos Animais e veganismo

Saiba por que é importante estudar sobre os Direitos Animais e o veganismo

Você é vegan, seja há pouco tempo, seja há vários anos? Então meus parabéns!

Sendo vegan, conhece a teoria ético-filosófica dos Direitos Animais e do veganismo? Leu pelo menos resumos sobre ela?

Ainda não?

Então eu quero, neste artigo, lhe mostrar dez motivos que tornam muito necessário que você busque esse conhecimento sobre as bases intelectuais daquilo que você está seguindo e defendendo.

Você irá tanto se beneficiar maravilhosamente, como descobrir que defender a libertação dos animais vai muito além de sentimentos como compaixão e misericórdia e sonhos bonitos com um futuro de paz e harmonia entre os seres humanos e os não humanos.

 

Os dez motivos que vão chamar você para ler bons livros sobre o tema

Livros sobre Direitos Animais

São muitos os livros sobre Direitos Animais disponíveis para serem comprados no Brasil

  1. Você descobrirá as razões objetivas de se respeitar os animais não humanos, para além da empatia por eles e da indignação emocional contra as violências que lhes são infligidas. Ou seja, aprenderá em que verdades a defesa dos Direitos Animais se sustenta;
  2. Você conhecerá conceitos essenciais para se entender plenamente os fundamentos e porquês dos Direitos Animais e do veganismo, como especismo, abolicionismo animal, senciência, dorência, sujeitos-de-uma-vida, consciência neurológica, interesses vitais, interseccionalidade etc.;
  3. Você entenderá o que o veganismo realmente é. Aprenderá que não é um estilo de vida, nem uma moda contemporânea, nem uma filosofia de vida espiritualizada, nem reduzidamente um hábito de consumo, nem algo desconectado de propósitos políticos, nem voltado ao bem-estar individual;
  4. Você terá conhecimentos fundamentais para saber defender e praticar o veganismo. Saberá, por exemplo, por que o veganismo não defende plantas nem bactérias, quais são as exceções de consumo de produtos não veganos que o veganismo abre, que ligações existem entre o veganismo e o ambientalismo, como tratar casos de proliferação de animais de espécies invasoras nos ecossistemas, como o veganismo interage com causas políticas humanas e como os veganos podem lidar com animais que sofrem na Natureza;
  5. Você se salvará e se protegerá de incorrer em argumentos falsos e/ou frágeis na tentativa de defender os animais não humanos. Por exemplo, saberá que não é uma boa argumentar que o ser humano deve se tornar vegano porque seria “biologicamente herbívoro”, que o veganismo não teria “nada a ver” com política, que se trataria de uma defesa “dos seres vivos”, ou que poderia ser motivado “por saúde”;
  6. Você saberá como desmontar os contra-argumentos antiveganos e não se deixar constranger e ficar sem saber como rebatê-los. Obterá a habilidade de responder rapidamente falácias como as da cadeia alimentar, da “lei do mais forte”, da suposta relação entre vegetarianismo e desnutrição de crianças, da suposta “falta de embasamento racional” na defesa dos Direitos Animais etc.;
  7. O pleno conhecimento da teoria vegano-animalista tornará sua convicção vegana e sua aderência ao veganismo incrivelmente mais fortes, sólidas e seguras. Será muito mais difícil você deixar de ser vegan por motivos como o convencimento por parte de antiveganos, a insegurança sobre como manter uma saúde boa e uma nutrição equilibrada e a inabilidade em responder argumentos oposicionistas que costumam encurralar vegans inexperientes;
  8. Você irá adquirir muito mais condições de ensinar aos não veganos de seu convívio sobre o veganismo, os Direitos Animais e os fundamentos ético-filosóficos de ambos e responder às dúvidas deles;
  9. Caso você esteja buscando um tema para palestrar em universidades e outros lugares, esse será um excelente tema;
  10. Uma pessoa que equilibra conhecimentos racional-intelectuais suficientes com emoções positivas dedicadas aos animais, tem condições muito melhores de defendê-los e permanecer sustentavelmente nessa defesa do que uma que se tornou vegana apenas por pena dos animais mortos em matadouros e pela crença no “herbivorismo biológico” dos humanos.

Bônus: Nenhum movimento defensor de direitos na história humana se baseou ou se baseia unicamente em emoções como misericórdia, empatia e indignação. Conhecimentos racionais e intelectuais dotados da devida firmeza argumentativa são estritamente necessários para dar solidez e maturidade a qualquer movimento social do tipo.

 

Considerações finais

Devore os livros!

Siga o conselho de Seu Madruga: devore os livros!

Agora você já sabe por que precisa, desde já, “devorar os livros” e outros materiais intelectuais que falam aprofundadamente do veganismo e dos Direitos Animais.

Assim sendo, não perca tempo. Quando tiver alguma hora livre que não seja para o descanso, dedique-a a ler livros impressos e digitais e artigos acadêmicos de fácil entendimento sobre esse tema tão importante para a vida dos animais não humanos e a sua própria.

Compre-os, baixe-os gratuitamente ou peça algum emprestado – caso haja alguém que possa lhe emprestar um ou mais.

Conheça e desfrute a ideia de autores como Gary Francione, Tom Regan, Peter Singer, Carol Adams, Sônia T. Felipe, Leon Denis, Luciano Carlos Cunha e também eu, que lancei um rico livro sobre veganismo em abril deste ano e mantenho centenas de artigos neste Veganagente.

Os animais irão lhe agradecer muito depois que você se tornar uma pessoa amadurecidamente conhecedora e defensora dessa causa.

 

Você gostou de saber da necessidade e dos benefícios de estudar a teoria dos Direitos Animais e do veganismo? Comente logo abaixo e compartilhe este texto.

Siga-me aqui

Robson Fernando de Souza

Autor dos blogs Consciencia.blog.br e Veganagente e do livro Veganismo: as muitas razões para uma vida mais ética. Formado em Licenciatura em Ciências Sociais (UFPE, 2016) e Tecnologia em Gestão Ambiental (IFPE, 2008). Adora Sociologia, meio ambiente, Direitos Animais & Veganismo e autoajuda.
Siga-me aqui

4 Comments on “10 razões para você se aprofundar no estudo dos Direitos Animais e do veganismo

  1. Parabéns. Várias pessoas tem o veganismo como modinha. Muitos veganos que conheci realmente não sabem argumentar. Conhecimento e experiencia fazem a diferença em qualquer movimento. Algo q vejo sempre também é a deusificação de famosos pelo fato de aderirem ao veganismo. Você escreveu sobre isso também?

  2. Por que não é uma boa argumentar que poderia ser motivado “por saúde”? Pode me ajudar com essa parte? Já vi documentários sobre alimentos de origem animal serem prejudiciais à saúde, então qual o problema desse argumento?

    Grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *