Você já defende cães e gatos?Você já defende cães e gatos, sendo protetor deles ou simplesmente tutor de um ou mais animais adotados? Se sim, parabéns!

Defender os animais domésticos já é um passo muito importante na adesão à ética de se respeitar os seres não humanos. Mas é possível dar mais passos ainda nessa evolução.

Conheça o próximo passo nesse posicionamento de defender os animais: tornar-se vegano.

O veganismo como maneira de defender muito mais animais do que cães e gatos

O veganismo é um modo de vida que demonstra o respeito do seu adepto ao máximo número possível de animais não humanos.

O vegano não consome nenhum alimento de origem animal, e também evita o consumo de todo e qualquer produto não alimentício com componentes de origem animal – vestuário, cosméticos, produtos de limpeza e higiene etc.

Além disso, boicota empresas que realizam ou subsidiam testes em animais e/ou patrocinam atividades culturais especistas – como rodeios e rinhas de galo -, pressionando-as a abandonar essas práticas antiéticas e adotar uma política institucional de respeito pleno aos animais.

Também, é claro, boicota rodeios, vaquejadas, touradas, rinhas, zoológicos, circos com animais, parques aquáticos que também exploram animais, aquários etc. e evita comprar animais domésticos e aprisionar aves em gaiolas e peixes em aquários.

Ou seja, defende, em seu dia-a-dia, um número imenso de animais. E tudo isso é mais fácil do que se acredita.

Ser vegano é bem fácil

Leitão fofo, filhotinhos fofos
Defenda outros animais, para além de cães e gatos, sendo vegano

Não é tão complicado ser vegano. Basta você:

  • Ser vegetariano – ou seja, não consumir nenhum alimento de origem animal;
  • Consumir produtos veganos – ou seja, sem ingredientes de origem animal e de empresas que não testam em animais;
  • Continuar não tendo animais presos em gaiolas e aquários e não comprando nenhum animal doméstico – adotando-os, ao invés;
  • Consultar listas de empresas que testam ou não testam em animais, para saber de quem comprar ou não comprar;
  • Continuar não indo a rodeios, vaquejadas, rinhas, zoológicos, circos com animais e outras atividades que exploram seres sencientes.

E quanto a remédios, combustíveis e outros produtos que não podem ser boicotados? Nesse caso, continue consumindo-os, já que são exceção e o veganismo é vivido na medida do possível e praticável.

Conclusão

Você pode defender muito mais do que só cães e gatos. E fazer isso é muito mais simples do que parece.

Basta que você seja vegano e, assim, evite financiar a exploração animal. Assim você ajuda a desempoderar os setores da economia que lucram com a miséria dos animais e, por tabela, torna mais próximo o dia da libertação final dos animais da dominação humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*