Diga não à carne vermelha

Assim como no caso dos laticínios e ovos, o consumo de carne também é sustentado por crenças baseadas em mitos.

Como exemplos, tem o de que comer carne é “essencial” à saúde dos seres humanos e o de que, sem carne, sofremos de desnutrição.

Se você é uma pessoa que acredita em mitos sobre a “importância” do consumo de carnes brancas e vermelhas para a saúde humana, convido você a ler as respostas veganas a dez deles.

Você também poderá descobrir aqui que não há nenhum perigo na alimentação vegetariana, livre de componentes de origem animal.

1. “Comer carne é essencial para a saúde e nutrição do ser humano”

Cada vez mais instituições nacionais de saúde e nutrição alegam o contrário – que a alimentação vegetariana é perfeitamente adequada para as necessidades humanas, uma vez balanceada e equilibrada -, entre elas:

Por outro lado, não tem aparecido nenhuma prova científica de que o consumo de carne seria indispensável para a saúde humana – crença essa que, aliás, é refutada bastando-se notar a existência de milhões de veganos, vegetarianos e protovegetarianos saudáveis ao redor do mundo.

2. “A carne é uma fonte indispensável de proteína, ferro e cálcio. Sem seu consumo, a pessoa correrá um grande risco de ter deficiência desses nutrientes.”

Existem muitas fontes vegetais desses nutrientes, tão boas ou até melhores do que a carne. Nesses links você pode ler alguns exemplos de:

Sabendo das boas fontes vegetarianas desses nutrientes, ninguém correrá o risco de sofrer hipossuficiência deles. Pelo menos até hoje ninguém provou que a carne – nem o leite, nem os ovos – é uma fonte insubstituível e que não existem vegetarianos e veganos bem nutridos.

3. “É necessário comer carne para você ser culinariamente feliz.”

A abundância de receitas vegetarianas, livres de componentes animais, e o sucesso da maioria dos restaurantes vegetarianos e veganos brasileiros refutam essa crença.

Cada vez mais as pessoas estão descobrindo as milhares de receitas vegetarianas existentes ao redor do mundo, de culinárias de todos os países. E assim percebem que existe um universo inteiro de delícias fora do consumo de alimentos de origem animal.

4. “Comer carne dá força e vitalidade.”

Não há evidências científicas de que isso seja causado por algo exclusivo da carne. Se alguém se sente forte e vitalizado após comer carne, isso se deve à ingestão dos nutrientes dela, que podem ser encontrados todos em fontes não animais.

Portanto, não há nenhuma evidência de que esse efeito não possa ser obtido de uma alimentação vegetariana bem balanceada.

5. “Você só consegue B12 suficiente se comer carne.”

Com a gradual popularização dos suplementos de vitamina B12 entre vegetarianos e veganos, essa crença cai por terra.

Por meio da B12 de suplementos, obtida de culturas bacterianas em laboratório, os seres humanos podem se considerar livres de qualquer necessidade de consumir carne, laticínios ou ovos.

Vitamina B12 FDC
Suplemento de vitamina B12, a alternativa vegana de fonte desse nutriente ao consumo de alimentos de origem animal

6. “Não comer carne causa anemia por falta de ferro ou vitamina B12.”

Essa crença se deve ao mito nº 2, o de que só seria possível encontrar quantidades suficientes de ferro na carne – ou, aliás, nos alimentos de origem animal, e ao nº 5, segundo o qual só seria possível obter B12 suficiente comendo carne.

Considerando-se que dá para obter ferro suficiente de fontes vegetais diversas e B12 abundante de suplementos, não se contrai anemia apenas eliminando a carne da alimentação. Seria preciso também remover as fontes vegetais de ferro e não suplementar a B12 para ter deficiência desses nutrientes.

7. “Se você é homem, precisa comer carne vermelha para manter e reforçar sua masculinidade.”

Aqui a refutação não é de que você pode ser sim um “macho vegetariano”, mas sim que a masculinidade não é necessária para ser um homem de bem com a vida.

A cultura da masculinidade geralmente é baseada na assimilação de valores violentos e competitivos e na discriminação contra mulheres e LGBTs. Ela não tem feito bem para a sociedade, mas sim sido um forte mal.

Além de fazer mal às pessoas cujos valores rejeita com ódio, ela também aprisiona os homens num modelo supostamente obrigatório de pessoa.

O homem é “obrigado” a ser violento, reprimir parte de seus sentimentos, ter um leque restrito de gostos culturais, não ser uma pessoa carinhosa e empática, entre outras restrições.

Portanto, você homem precisa, além de eliminar a carne da alimentação, descartar a cultura da macheza de sua vida, para que ela não faça mais mal a quem você ama e a você mesmo.

8. “Crianças, atletas, gestantes e lactentes não podem dispensar o consumo de carne.”

As instituições da resposta ao mito nº 1 discordam totalmente dessa crença.

Por meio de relatórios e guias de nutrição, elas mostram que é perfeitamente possível ser uma gestante, lactente, criança ou atleta saudável sem precisar de nenhum alimento de origem animal.

9. “Peixe é a única fonte boa de ômega-3 EPA/DHA e vitamina D existente.”

Não há evidências de que só possamos nos satisfazer com esses nutrientes consumindo peixe.

A ingestão de fontes boas de ômega-3, como a linhaça, o azeite de oliva e o óleo de canola (atenção para o boato sobre esse óleo), permite ao corpo converter uma parte desse nutriente em EPA e DHA.

Já a vitamina D pode ser obtida por banhos de sol regulares pela manhã. Caso isso não seja possível, há a opção de suplementação de vitamina D vegana.

10. “A dieta mediterrânea, rica em peixe, é necessariamente mais saudável do que a vegetariana.”

Não há evidências de que uma alimentação vegetariana saudável e bem planejada beneficiaria menos a saúde do ser humano do que a dieta mediterrânea com peixe.

Além disso, consumir quantidades elevadas de carne de peixe traz uma chance razoável de contaminação por metais pesados, como mercúrio, chumbo e arsênio.

Conclusão

Diga não ao consumo de carne brancaVocê não precisa comer carne – nem nenhum outro alimento de origem animal – para ter saúde e manter a disposição física e mental. Existem muitas alternativas para você consumir no reino vegetal.

Portanto, se você receava contrair subnutrição por abandonar o consumo desse produto, não precisa ter mais medo. Essa crença não encontra sustentação na realidade. O vegetarianismo pode ser perfeitamente saudável para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*