Laticínios e ovos: diga não!

Mesmo em tempos de crescimento do veganismo e do vegetarianismo, o consumo de laticínios e ovos ainda persiste forte, movido a mitos e crenças preconcebidas.

Se você ainda consome esses produtos, convido você a saber a verdade por trás de cinco desses mitos que fazem muitas pessoas acreditarem que “precisam” ingeri-los para serem saudáveis.

Veja aqui esses argumentos serem rebatidos, e livre-se tanto dessas crenças quanto dos próprios laticínios e ovos.

1. “O ser humano precisa consumir leite de outros animais e ovos para se manter saudável.”

Cada vez mais entidades nacionais de saúde e nutrição discordam dessa crença. Entre eles, estão:

Todos eles argumentam que uma alimentação livre de produtos animais, uma vez bem planejada, balanceada e complementada com banhos de sol e suplementação de vitamina B12, pode suprir todas as necessidades nutricionais humanas.

Até hoje ninguém conseguiu refutar essas instituições e comprovar cientificamente que a ausência de laticínios e ovos faria alguém sofrer de subnutrição. Pelo contrário, essa crença cada vez mais é tida como absurda e desconectada da realidade.

2. “Crianças, gestantes, lactantes e atletas não podem dispensar o consumo de laticínios e ovos.”

As mesmas entidades mencionadas na resposta anterior discordam disso. Sua aprovação da alimentação vegetariana propriamente dita estende-se a todos os seres humanos, dotados das mais diferentes e peculiares necessidades.

Com o aval delas, cada vez mais mulheres veganas e vegetarianas engravidam com muito bem-estar e dão à luz bebês totalmente saudáveis. E alimentam seus filhos com uma alimentação vegetariana também muito nutritiva e suficiente e, antes disso, leite materno cheio de vitalidade.

E também atletas veganos e vegetarianos têm conseguido títulos e performances excelentes um atrás do outro no mundo inteiro – uma amostra deles você pode encontrar aqui -, provando que seus corpos não sentem falta nenhuma do leite e dos ovos.

Boas fontes vegetais de cálcio

3. “Leite é a única fonte boa de cálcio existente.”

Esse argumento é refutado por duas verdades.

Primeiro, fontes vegetais excelentes de cálcio, como folhas verdes-escuras – menção honrosa à couve-manteiga – e as castanhas e nozes – a exemplo da castanha-do-pará e das nozes.

E segundo, o consumo de leite e derivados é uma tradição no Brasil, mas não tem prevenido a ocorrência de osteoporose em mais de 10 milhões de brasileiros – o que faz desse tipo de alimento uma fonte não muito segura desse nutriente.

Tampouco essa doença costuma ser associada à alimentação vegetariana por fontes confiáveis, mas sim apenas por opiniões que cometem falácias graves, como o apelo à autoridade anônima, a evidência anedótica e a confusão entre correlação e relação de causa e efeito.

4. “Sem leite de vaca (ou cabra, ou ovelha, ou outra mamífera), o ser humano corre o risco de contrair osteoporose.”

A resposta anterior já responde: tanto o leite não humano não é um bom alimento para prevenir osteoporose, quanto os únicos materiais que alegam existir uma relação de causa e efeito entre a ausência desse produto e a osteoporose não são fontes confiáveis.

Torre Washington, fisiculturista vegano
Torre Washington, fisiculturista vegano, atleta que não precisa de leite e ovos para ser sarado e saudável

5. “Os ovos são uma fonte necessária de proteína, por conterem proteína completa.”

Não é porque os ovos são uma fonte dita boa de proteína que são necessários para se consumir.

fontes muito boas de proteína na alimentação vegetariana, tais como leguminosas, folhas verdes-escuras e castanhas/nozes. Seu consumo regular torna totalmente desnecessária a ingestão de proteína animal.

Além disso, a saúde vegetariana sem a presença de fontes animais de proteína é confirmada pelas instituições que citei na resposta ao primeiro mito.

Bônus: “O vegetarianismo só é saudável se incluir laticínios e/ou ovos.”

As respostas aos outros cinco mitos responderam a esse aqui. A alimentação vegetariana é perfeitamente saudável, uma vez que bem planejada e balanceada, sem precisar de nenhum componente de origem animal.

Além disso, hoje é cada vez mais difundido que a alimentação vegetariana, por definição, não inclui nenhum alimento de origem animal. Nesse contexto, as dietas sem carne que incluem laticínios, ovos e/ou mel são chamadas de protovegetarianas.

Conclusão

Não há razão nenhuma na saúde humana para se consumir laticínios e ovos. A crença de que ambos são necessários para se manter as taxas de nutrientes já é datada, e tem sido superada por cada vez mais instituições respeitadas de saúde e nutrição.

Portanto, se você tem compaixão pelos animais não humanos e quer parar de comer suas carnes e secreções, vá em frente. Sua saúde só terá a ganhar, nunca a perder, com essa decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*