Pescador matando peixes na praia de Boa Viagem
Pescador na praia de Boa Viagem. Foto: Trip Advisor

Pescadores pescando na praia – algo inofensivo para a maioria das pessoas. Mas que pode estragar o lazer de quem tem empatia pelos animais que eles estão matando.

Foi o que aconteceu num fim-de-semana de novembro ou dezembro de 2012 – não lembro mais a data exata.

Convido você a sentir um pouco do que eu senti naquela fatídica manhã de domingo, em que eu saí de casa esperando me divertir e voltei com a consciência a mil.

A manhã em que vi aqueles pescadores matando peixes

Numa manhã do último trimestre de 2012, eu decidi ir à praia de Boa Viagem, aqui em Recife. Queria me divertir, curtir o sol e o mar.

Como precaução, levei dinheiro para a passagem de ônibus e outros gastos (como amendoim) dentro de um saco, que ficou dentro da cueca – eu ainda não tinha voltado a usar sunga, e ia de bermuda mesmo à praia.

Chegando lá, tomei um pouco de sol, numa das poucas áreas que ainda havia na areia sem estar sob “domínio” de algum alugador de cadeiras e guarda-sóis.

Cerca de meia hora depois, fui tomar um bom banho na água. Me deliciei com aquela água do mar quentinha… mas por um tempo infelizmente mais limitado do que eu gostaria.

Isso porque, um tempo depois de ter entrado na água, vi pescadores atuando em cima dos famosos arrecifes.

E, é claro, eles estavam com o seu trabalho de sempre – matar peixes. Tirá-los da água com uma vara cujo anzol perfura as mandíbulas dos animais e colocá-los num balde ou cesto.

Mais pescadores na praia de Boa Viagem
Mais pescadores na praia de Boa Viagem, em Recife. Foto de autoria desconhecida

Aquilo não incomodava a grande maioria das pessoas que se divertiam ali. Mas me deixou com um baita peso na consciência.

A empatia e a misericórdia me causavam um enorme incômodo de vê-los matando animais impunemente. Afinal, pescar animais que não estejam em período de defeso não é crime.

Pelo menos ainda não.

E eu não podia fazer nada. Nadinha, porque, se fosse ali brigar com os pescadores, iria sair ferido, não conquistaria ninguém para a causa vegana e só iria fazê-los pescar em outro lugar.

Assistir impotentemente aos pescadores trabalhando, enquanto imaginava os peixes sofrendo dentro do balde, tal como se estivesse revisitando aquela manhã de 2006, me tirou a paz de estar ali.

Já não me divertia mais tanto. E, pelo que lembro, acabei voltando para casa mais cedo, antes do meio-dia.

Abalado, gravei um vídeo para o meu antigo canal Consciencia.VLOG.br – que você pode assistir aqui -, tentando esboçar tristeza – sem muito sucesso, por causa da minha dificuldade de expressar facialmente emoções.

Considerações finais

Presenciar uma cena de pesca pode parecer banal e tranquilo para muitos. Mas muitas vezes é o fim da picada para um vegano ou vegetariano.

É algo que estraga o dia de quem queria se divertir, mas teve que ver humanos matando animais sem poder fazer nada a respeito. Afinal, pescar é nada menos que matar animais aquáticos.

Eu adoraria que não precisássemos presenciar mais algo do tipo. Mas infelizmente milhões de pessoas ainda vão passar por isso em algum momento da vida.

Portanto, se você vir pescadores em ação numa praia, pense: eles estão matando animais. Estão fazendo peixes, crustáceos e moluscos sofrerem até a morte por causa de um hábito alimentar desnecessário.

Desejo muito que você, caso ainda não seja vegano ou vegetariano, faça esse exercício de empatia.

E, quem sabe, enxergue naqueles animais ali longe o desejo de continuar vivo que seu hábito de consumo acaba negando para muitos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*