Como o veganismo pode servir como um atalho para você se tornar uma pessoa melhor e mais ética

Vamos falar mais sobre ética?

O veganismo está crescendo ao redor do mundo, e promete torná-lo um lugar mais pacífico e sustentável para os animais não humanos e os humanos.

Cada vez mais pessoas estão percebendo o quanto a pecuária, a pesca e outras atividades de exploração animal são cruéis e desnecessárias e optando por um caminho muito mais ético, o de viver bem sem depender dessas violências.

Os veganos estão pouco a pouco construindo um mundo melhor. E acredite: o veganismo pode servir também para formar seres humanos melhores.

A hora é essa de você saber como o caminho vegano pode tornar você uma pessoa mais ética, consciente e espiritualmente forte, em ainda mais âmbitos da vida do que o respeito aos animais.

 

O veganismo como meio de melhoria ética da conduta humana

Ética,o coração do veganismo e dos Direitos Animais

Antes de tudo, relembremos que o veganismo é fundamentado em princípios:

  • Igualdade moral nivelada por cima;
  • Empatia, alteridade e compaixão;
  • Universalização de direitos fundamentais;
  • Reconhecimento da senciência e dos interesses individuais dela derivados como razões para respeitar o próximo, independente de espécie, raça, gênero e identidade de gênero, classe, orientação sexual, nacionalidade e etnia, religião, ter ou não deficiência etc.;
  • Reconhecimento, aceitação e respeito aos interesses vitais de outros seres sencientes;
  • Reconhecimento dos direitos de quem é diferente;
  • Respeito incondicional às diferenças;
  • Rejeição à postura de encarar a diferença como motivo para desigualdade;
  • Proteção legal e justiça para todos os sujeitos de direito;
  • Sustentabilidade;
  • Questionamento e rejeição às hierarquias morais;
  • Inconformismo perante um status quo desigual, violento e injusto;
  • Oposição a ideologias que legitimam desigualdades e dominação violenta;
  • Combate ao sofrimento do outro;
  • Utopia de libertação para todos os seres sencientes;
  • entre diversos outros.

Quando alguém segue incondicionalmente todos esses valores em todos os momentos da sua vida, com certeza torna-se uma pessoa mais virtuosa, respeitadora, caridosa, compassiva, amorosa, altruísta, empática… Uma pessoa mais ética do que era antes.

Com isso, é possível dizer que o veganismo, quando tem seu valor moral levado a sério, pode ajudar os seres humanos a evoluir eticamente, incluir mais e mais indivíduos em seu círculo de seres a serem respeitados, quebrar toda e qualquer barreira arbitrária em se tratando de consideração ao próximo. Em outras palavras, formar pessoas melhores.

Os não veganos que me desculpem, mas, a partir dessa teoria, é possível afirmar que uma pessoa que segue fielmente a ética vegana é indubitavelmente mais evoluída em consciência e conduta moral do que uma não vegana ou uma que aderiu ao consumo vegano por mero estilo de vida. Só que, ao contrário do que alguns dizem, essa evolução está ao alcance de qualquer pessoa, não procede aquela desculpa de que “eu não estou ainda nesse nível de evolução de vocês vegans”.

 

Como você pode se tornar essa pessoa melhor

Seja hoje uma pessoa melhor

Agora, a melhor parte: como você também pode, por meio de assimilar a consciência ética vegana, se tornar uma pessoa mais virtuosa?

Antes de tudo, você precisará conhecer o veganismo e aderir a ele, por motivos sinceramente éticos. Ou seja, passar a respeitar os animais não humanos por serem sencientes e interessados em continuarem vivos e serem livres e defender direitos para eles.

A partir disso, reflita sobre como os valores ético-morais do veganismo podem se estender para outras áreas da sua vida. Vou lhe dar algumas dicas correspondentes a cada uma delas:

  • Respeito aos seres humanos diferentes de você: Se você considera dignos de respeito e direitos todos os seres sencientes, é lógico que você vai concluir que mulheres, pessoas negras, pobres, pessoas gordas, imigrantes, pessoas trans, pessoas não heterossexuais etc. merecem o mesmo respeito e os mesmos direitos que você. Também é logicamente plausível que, por tabela, você vai cada vez mais tratar respeitosamente quem faz por merecer seu respeito e nunca tratar com grosseria quem não fez nenhum mal para você;
  • Rejeição aos discursos de ódio, preconceito e intolerância: Ter empatia por quem é diferente e reconhecê-lo como tão respeitável quanto você são grandes motivos para repudiar e se opor a todo e qualquer discurso de ódio e preconceito elitista, racista, machista e misógino, heterossexista, transfóbico, xenofóbico, intolerante-religioso, gordofóbico, capacitista e psicofóbico, reacionário, nacionalista, de intolerância política etc.
  • Comunicação não violenta: A empatia vegana e a atitude de ver o outro como igual a você em respeito pode inspirar você a aderir à comunicação não violenta, de modo a aprender a comunicar suas necessidades a seu próximo sem julgamentos, imposições, autoritarismo e críticas destrutivas;
  • Trilhando um caminho de ser uma pessoa cada vez mais virtuosa e ética: Cada tomada de decisão motivada por ética é um degrau que você sobe no caminho de se tornar um indivíduo cada vez mais virtuoso no trato com os outros. Aderir ao veganismo foi um desses degraus e, após ele, você terá a oportunidade de ter mais e mais empatia também pelos outros seres humanos e pela Natureza;
  • Equilíbrio entre razão e emoção: O veganismo é baseado tanto na racionalidade ética quanto em emoções positivas como a compaixão e, opcionalmente, o amor. É, por excelência, uma postura que mescla razão e emoção numa sincronia belamente equilibrada. Portanto, pode servir como um atalho para o domínio da bonita arte de balancear seus lados racional e passional, tornando-se ao mesmo tempo uma pessoa racional sem ser insensível e emocional sem ser explosiva;
  • Desconstrução do autoritarismo: Sendo contrário a hierarquias morais e favorável ao respeito igualitário, o veganismo orienta os seres humanos a se desfazerem do que há de autoritário em si. Afinal, o autoritarismo implica essencialmente relações entre seres moralmente desiguais, um mandando violentamente e o outro obedecendo em submissão. Portanto, você pode aproveitar esse princípio do veganismo para refletir em que situações da sua vida você ainda usa de autoritarismo, e pensar como substituir essa atitude por mais compreensão, amigabilidade e falar de igual para igual;
  • Defesa incondicional da ética: Ser vegan é, por essência, defender um mundo mais ético para com os seres sencientes. Portanto, lhe dá a oportunidade de ser uma pessoa mais ética e exigir dos outros a mesma postura também em outras áreas, como empreender sem passar a perna nos clientes e concorrentes, cuidar bem de quem cuida bem de você, dividir igualitariamente as tarefas domésticas, defender um mundo melhor para todos, repudiar ativamente e eliminar de sua vida atos de corrupção (como se apropriar do troco dado a mais, furar filas, furtar objetos de repartições públicas, aceitar desvios de verba políticos e empresariais a depender do partido e ideologia do corrupto, aceitar que usem a política para benefícios pessoais etc.) etc.

A lista segue com outras formas de estender os princípios da ética vegana em sua vida. Você pode personalizá-la com suas próprias atitudes de autoedificação ético-moral.

 

Considerações finais

Vida melhor

Aplicando os princípios éticos do veganismo em todas as áreas de sua vida, você perceberá o quanto isso é delicioso.

Fazendo o bem ao próximo, você vai colher um mundo melhor, uma vida melhor, mais pessoas gostando sinceramente de você. Irá se tornar uma pessoa mais querida, apreciada, bem-vinda ao mundo. E bem provavelmente desarmará espíritos carregados de ódio e malcriação.

Perceberá que ser uma pessoa ética em função do veganismo, ao contrário do que o senso comum conservador crê, vai além de adotar um determinado modo de vida e direcionar sua compaixão aos animais não humanos. Poderá revolucionar todas as áreas da sua vida. E realmente construirá um novo mundo, com menos violência, discriminação, desigualdades e injustiças e mais paz, amor, harmonia e verdejância.

Então, experimente realizar essa maravilha em sua vida. Pode parecer difícil à primeira vista, mas será mais fácil do que você imagina.

 

O que achou da proposta deste artigo, de utilizarmos o veganismo como atalho para sermos pessoas mais éticas? Comente logo abaixo.

Você quer mostrar para outros veganos esse caminho de ética e retidão? Compartilhe este artigo.

Robson Fernando de Souza
Siga-me aqui

Robson Fernando de Souza

Autor dos blogs Consciencia.blog.br e Veganagente e do livro Veganismo: as muitas razões para uma vida mais ética. Formado em Licenciatura em Ciências Sociais (UFPE, 2016) e Tecnologia em Gestão Ambiental (IFPE, 2008). Adora Sociologia, meio ambiente, Direitos Animais & Veganismo e autoajuda.
Robson Fernando de Souza
Siga-me aqui




2 Comments on “Como o veganismo pode servir como um atalho para você se tornar uma pessoa melhor e mais ética

  1. Oi Robson

    Se texto é impecável e tem um componente fundamental : dialoga com o leitor e o faz
    refletir com profundidade sobre a abrangência do vegetarianismo.
    Já fui carnívora como quase todos nós e tornei-me vegetariana há mais de 20 anos., motivada pelo amor profundo por todo o reino animal. Com o passar do tempo, fui sentindo e percebendo uma grande mudança em minha maneira de ser e de estar no mundo. Realmente ser vegetariano não consiste tão somente ” abandonar o vício de ingerir vidas, que foram ceifadas para saciar minha voracidade primitiva “. O vegetarianismo é amplo , complexo e traz reflexos biopsíquicos, sociais e espirituais em cada um de nós. Ele é revolucionário !!!! Um grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *