Se a pecuária acabar, os animais "de criação" serão soltos na natureza, feito os búfalos tornados selvagens da região Norte?
Se a pecuária acabar, os animais “de criação” serão soltos na natureza, feito os búfalos tornados selvagens da região Norte?

Muitas pessoas acreditam – e argumentam – que, se a pecuária for extinta graças à luta pelos Direitos Animais, bilhões de animais vão ser abandonados pelos ex-pecuaristas na natureza e vão fazer um enorme estrago nos ecossistemas do mundo.

Isso inclusive faz muita gente temer a universalização do veganismo e a vitória dos defensores da libertação animal.

Mas será que essa crença faz sentido mesmo? É verdade que a derrota do especismo vai implicar a soltura de todos os animais hoje criados para consumo?

A verdade sobre essa suposta consequência do fim da pecuária

Essa situação – que, cá para nós, realmente seria catastrófica para o meio ambiente – na verdade só seria possível se todos os bilhões de seres humanos se tornassem veganos da noite para o dia.

E como todo bom conhecedor do veganismo sabe, isso é impossível de acontecer.

Afinal, o modo de vida vegano é disseminado de indivíduo a indivíduo, à medida que a conscientização sobre a exploração animal é promovida. É algo, por natureza, lento e gradual.

Mesmo que haja o efeito cascata de cada vez mais veganos conseguirem a aceleração da adesão de novas pessoas ao veganismo, não há chances de isso acontecer tão rápido a ponto de ameaçar a existência da agroindústria da exploração animal a curto ou médio prazo.

Nesse contexto, o que o crescimento da população vegana e da luta pelos Direitos Animais pode proporcionar é a diminuição gradual da demanda por matérias-primas de origem animal.

Isso, por sua vez, vai forçar os criadores a reduzir gradativamente a reprodução dos animais. Afinal, ter animais excedentes, que não serviriam mais à demanda consumidora, oneraria os custos da propriedade e a faria perder a rentabilidade.

Portanto, a tendência seria o ciclo de reproduções e abates diminuir cada vez mais, menos e menos animais nascerem e morrerem, até que só restem muito poucos animais no momento em que a propriedade falir e fechar por inviabilidade econômica.

Essa população residual de animais “de criação” será remanejada para santuários e esterilizada. Ou seja, não será solta à própria sorte em ambientes naturais que biologicamente não são seus habitats.

 Ou seja…

A crença de que a extinção da pecuária implicará a soltura de uma população gigantesca de animais “de criação” na natureza é falsa.

Isso não tem chance nenhuma de acontecer, já que o veganismo se dissemina de maneira gradual e influencia uma diminuição também gradativa da reprodução da população de animais explorados.

Portanto, se você acreditava nisso, pode ficar sossegado. Você aderir ao veganismo não implicará nenhuma consequência negativa futura para o meio ambiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*