textoscos-carnistas

Hoje o texto(sco) respondido é um “tratado” carnista de como o vegetarianismo supostamente tem feito mal ao meio ambiente na Austrália e a bovinocultura extensiva seria a salvação para o “mal” do vegetarianismo superimpactante no mesmo país. Traduzido de uma fonte diretamente interessada na caluniação e difamação do veg(etari)anismo, um site chamado “Beef Central”, dispara diversos erros lógicos, dados vagos e, claro, falácias atrás de falácias. É como se a única pecuária existente na Austrália fosse a bovinocultura extensiva e esta fizesse contraparte a um vegetarianismo malvado completamente dependente de latifúndios que abusam de agrotóxicos e extremamente pesado para o meio ambiente daquele país.

Ah, e o texto carnista abaixo também faz apologia à matança de cangurus para fins de produção de carne e usa o argumento dos animais mortos na agricultura (já respondido neste vídeo). É basicamente o argumento de um antigo troll carnista, o “Doutor Salada”, segundo o qual a pecuária “só” mataria os animais abatidos enquanto a agricultura mecanizada “mata milhões de seres sensíveis”, ou seja, a pecuária seria muito menos assassina do que a agricultura.

Veja o texto(sco) devidamente comentado abaixo. Clique na imagem para vê-la em tamanho completo.

015-maisdanosaosanimais

Os textos aqui têm sua autoria e fonte (com exceções) propositalmente ocultadas, como modo de evitar a exposição de seus autores a constrangimento e dar impessoalidade às críticas a seus artigos – critico aqui ideias, e não pessoas. Não tenho responsabilidade sobre a exposição autoinduzida por autores que eventualmente vierem aqui reclamar a autoria de seus textos. Se você escreveu algum texto desses e acha que seu direito à defesa foi cerceado por não ter tido sua autoria identificada, experimente escrever uma resposta a mim no seu próprio blog ou coluna, ao invés de se queixar aqui e acabar cometendo o que eu evitei fazer – “dar nome ao boi” -, porque não tenho nem poder nem intenção de impedir você de me responder em seu espaço pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*