Votar em Bolsonaro é votar contra o veganismo e a causa animal
Votar em Bolsonaro é votar contra o veganismo e a causa animal. Imagem: página Voto Animal

Aviso: Este post está fechado para comentários.

Bastantes pessoas autointituladas “veganas”, infelizmente, têm declarado que vão votar em Bolsonaro para presidente esse ano.

Têm encontrado repúdio à sua atitude por todos os lados no meio vegano – com muita razão.

Afinal, o que vão fazer é dedicar seu voto presidencial a alguém que tem tudo para destruir a luta vegana pela libertação animal.

Portanto, eu quero convidar você a descobrir, neste artigo, diversas razões que fazem do voto em Jair Bolsonaro uma atitude antivegana, mesmo quando é um autodeclarado “vegano” que diz querer votar nele.

As razões que fazem da atitude de votar em Bolsonaro uma postura de antiveganismo e especismo deliberado

Ele defende diversas formas de exploração animal e é contra o ativismo animalista

São diversas essas razões. A primeira delas é que o deputado de extrema-direita já declarou, diversas vezes, que é um inimigo da causa animal.

Ele já defendeu:

E, na sua declaração de ingresso no segundo turno, prometeu erradicar todas as formas de ativismo no Brasil – o que fatalmente inclui o ativismo pelos Direitos Animais, pelo meio ambiente e pelos Direitos Humanos.

Portanto, ele é não só um opositor, mas também um inimigo declarado dos defensores dos animais não humanos e do veganismo.

É alguém que pretende usar de violência, inclusive homicida, contra quem se opõe ao agronegócio e aos entretenimentos que exploram e/ou matam animais.

Ele contraria todos os princípios éticos dos Direitos Animais

A segunda grande razão que faz do voto em Bolsonaro um voto antivegano e especista é que ele é tudo aquilo que a defesa dos Direitos Animais combate.

Ele já fez discursos racistas, homofóbicos, misóginos, de ódio a lutas progressistas e aos Direitos Humanos, entre muitos outros absurdos.

Portanto, ele defende o endurecimento absoluto da hierarquização moral não só entre humanos e não humanos, como também entre os próprios seres humanos.

Conforme ele já deixou a entender diversas vezes, pessoas que defendem a dignidade humana e animal são para ele uma espécie de “seres inferiores”, que “merecem” repressão e violência para se conformarem à ordem que ele defende.

Ele defende a criminalização da causa animal por meio do apoio à ditadura

E finalmente, o apoio dele a abominações como a ditadura militar, a tortura e o assassinato de opositores políticos deixa evidente que defensores de uma causa progressista e transformadora da realidade como o veganismo e os Direitos Animais serão duramente perseguidos e proibidos de continuar defendendo o que defendem.

Terão sua causa criminalizada – até porque ela se choca diretamente com o agronegócio e as tradições especistas que ele defende.

Em outras palavras, sob um regime presidido por ele, corre-se o risco de, por exemplo, um empreendedor vegano ou um ativista animalista de rua ser preso e até torturado e morto por “subversão”, “crime contra a economia” e “crime de politicamente correto”.

Ou seja…

Votar em Bolsonaro é votar para que os veganos sejam perseguidos, a causa animal seja criminalizada e os Direitos Animais sejam apenas lembrança de uma época em que ainda existia democracia no Brasil.

Portanto, não tenho dúvidas: se você vota em Bolsonaro, você é uma pessoa antivegana e defensora do especismo irrestrito e da criminalização dos Direitos Animais.

Não importa que se diga “vegano” ou “vegetariano”. Você está atentando contra o veganismo e os animais ao apoiar alguém que se declara inimigo mortal de nossas bandeiras e da nossa ética.

Então, se você ainda pensa em votar nele se declarando “vegano”, uma dessas duas opções você terá que repensar: o apoio à pior ameaça de ditadura no Brasil desde 1964, ou se você é mesmo um vegano e defensor dos animais.